“Identificando inimigos dos relacionamentos saudáveis”.

Texto base: Tiago 4.v-1 a 12.

Introdução:

O culto teve início com uma analogia às brigas de transito e uma pergunta: Por que tantos problemas?

- Resposta: porque tem muitas mulheres dirigindo no transito (rsrs…).

-Resposta séria: Há muitos problemas porque as pessoas não reconhecem que são o problema. Muitas vezes assumimos uma posição de juiz, que julga o comportamento dos outros, mas não consideramos as ações que nós mesmos tomamos. Podemos admitir a semelhança deste fato aos problemas dentro da Igreja mencionados por Tiago; como julgar as pessoas e apontar os  seus defeitos .Trata-se do mesmo princípio, pois deveríamos olhar e refletir sobre nossas condutas e ações e não ficar simplesmente apontando para os defeitos dos outros.

- É difícil se assumir que o problema poderia estar partindo de mim mesmo, de cada um.

Tiago 3.14: “Contudo, se se vocês abrigam no coração inveja amarga e ambição egoista, não se gloriem disso, nem neguem a verdade.” Tiago Cap3,v-16: “Contudo, façam isso com mansidão e respeito, conservando boa consciência, de forma que os que falam maldosamente contra o bom procedimento de vocês, porque estão em Cristo, fiquem envergonhados de suas calúnias.”

Tiago 4.2: “para que, no tempo que lhe resta, não viva mais para satisfazer os maus desejos humanos, mas sim para fazer a vontade de Deus”.

Cobiça e Inveja: se eu não tenho, que o outro também não o tenha. Trata-se de um sentimento que habita o coração daqueles que não se contentam com o que Deus lhes deu.

-Questionamento: Tal sentimento é possível dentro da Igreja? Sim. Então, devemos parar de olhar somente para o nosso nariz, temos que parar de orar errado desejando coisas para nos gloriarmos, deixando de dar glória a Deus.

Muitas vezes, quebramos nossa relação com ele, prejudicando não somente a nós, mas também a nossa relação com o próximo. Portanto, devemos ter o Senhor como base para nossas amizades.

Tiago 4.11: “Irmãos, não falem mal uns dos outros. Quem fala contra o seu irmão ou julga o seu irmão, fala contra a Lei e a julga. Quando você julga a Lei, não a está cumprindo, mas está se colocando como juiz.” Tiago Cap1,v-19: “Meus amados irmãos, tenham isto em mente: Sejam todos prontos para ouvir, tardios para falar e tardios para irar-se,” Tiago Cap4,v-19: “Sobretudo, meus irmãos, não jurem, nem pelo céu, nem pela terra, nem por qualquer outra coisa. Seja o sim de vocês, sim, e o não, não, para que não caiam em condenação.”

-Todos esses versículos falam do cuidado que devemos ter ao falarmos, devemos ser prudentes.

Tiago 4.11: “Irmãos, não falem mal uns dos outros. Quem fala contra o seu irmão ou julga o seu irmão, fala contra a Lei e a julga. Quando você julga a Lei, não a está cumprindo, mas está se colocando como juiz”.

-Tem-se ai a advertência para não falarmos mal dos outros. Quando assim procedemos, agimos contra a lei do amor que nos foi dada. O nosso irmão foi feito a nossa imagem e semelhança, logo temos que lhe dar o devido zelo.

- Precisamos ter cuidado com o que falamos e como falamos. Devemos falar como recomenda Provérbios 15.1: “A resposta calma desvia a fúria, mas a palavra ríspida desperta a ira.” Assim deve ser nossa fala, pois as palavras brandas desviarão o furor mesmo nos momentos de ira.

-Nós temos que ter em mente que as pessoas são diferentes e dessa forma também são as interpretações que cada um pode dar ao que falamos. Logo, devemos ter o devido cuidado ao garantir que nossas idéias e comentários sejam transmitidos com o sentido que intencionamos; e dessa forma não ocorrer más interpretações.

Concluindo:

- Assim, precisamos compreender que em nossos relacionamentos os problemas surgidos relacionam-se diretamente com nós mesmos, principalmente quando: somos egoístas e invejosos, desejamos a amizade com o mundo em lugar da amizade com Deus e falamos mal uns dos outros. Que Deus nos preserve para que alcancemos relacionamentos saudáveis.