Em Colosenses 2:1 e 2 o apóstolo Paulo diz que lutava para que aqueles irmãos …”tivessem a certeza da plena convicção do entendimento…” em relação ao mistério de Deus, Cristo. Esse é um tema presente em toda a Escritura. O crente é alguém chamado para a certeza, para a plena convicção, a fé é a essência da vocação cristã.

E não poderia ser diferente visto que servimos e nos relacionamos com o Deus eterno e imutável cuja Palavra é mais firme que céus e terra. Ele é ” a Rocha dos Séculos”, e nEle nossos pés estão firmados.

Entretanto, poucos são os que se deleitam nessa benção da plena certeza da fé. Hoje em dia parece ser bonito e inteligente não se ter certeza de nada e, pior ainda, parece ser uma ofensa que alguém tenha alguma convicção sobre alguma coisa. Tudo isso é muito triste, quisera verter lágrimas por quem se diz cristão e acha que é grande coisa se lançar na areia movediça desses dias maus.

Mas o crente, graças ao Senhor Deus, tem “certeza da plena convicção do entendimento”. O cristão “tem a unção do Santo”(1 João 2:27) que nos ensina sobre todas as coisas. O crente é ” o homem espiritual que julga todas as coisas e por ninguém é julgado (1 coríntios 2:15)”. O crente não muda seu credo a cada dia como se trocasse de roupa mas se alegra muito e descansa na verdade de que: ” Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção, para a educação na justiça, a fim de que o homem de Deus seja perfeito e perfeitamente habilitado para toda boa obra.(2 Timóteo 3:16 e 17)”.

Sim, nós temos respostas, nós que em nós mesmos nada somos e nada podemos, nós temos respostas. Nós sabemos. Nós “estamos preparados para dar razão da esperança que há em nós (1 Pedro 3:15)”. Nós “sabemos em Quem temos crido!”

Stênio Marcius é músico cristão, conhecido por suas composições muito inspirativas e fiéis ao texto bíblico. Título original: Certeza da plena convicção do entendimento.

Fonte: Púlpito Cristão