Fortalecendo os relacionamentos por meio da oração

Graças dou ao meu Deus, lembrando-me sempre de ti nas minhas orações” (Fl 4)

Se observarmos algumas características do homem urbano perceberemos que ele é altamente competitivo, pragmático, utilitarista e individualista. Notaremos que busca a independencia e jamais a interdependencia. Vive somente para si, seguindo a filsofia do “eu me basto”. Assim, não é difícil perceber que muitos cristãos hoje, transportam tal comportamento para seus relacionamentos na Igreja. Entretanto, se esquecem que Deus nos chama para vivermos uma vida de união e ajuda mútua.

Uma maneira de vivermos este relacionamento entre os irmãos na fé, apontando a interdependencia, é por meio da oração “uns pelos outros”. O apóstolo Paulo nos dá um claro exemplo disso:

Filemom1.4: “Graças dou ao meu Deus, lembrando-me sempre de ti nas minhas orações;“- Paulo mostra aqui seu relacionamento com as pessoas através da oração;

2Timóteo 1.3: “Dou graças a Deus, a quem desde os meus antepassados sirvo com uma consciência pura, de que sem cessar faço memória de ti nas minhas orações noite e dia;- Paulo fala para Timóteo sobre a oração e relacionamentos saudáveis.

2Tessalonicenses 1.11: “Por isso também rogamos sempre por vós, para que o nosso Deus vos faça dignos da sua vocação, e cumpra todo o desejo da sua bondade, e a obra da fé com poder;“- Paulo fala para a igreja sobre a oração e os relacionamentos saudáveis.

1Tessalonicenses 5.25: “Irmãos, orai por nós”

Portanto, devemos nos conscientizar de que necessitamos orar uns pelos outros. Devemos pedir a Deus que quebre os nossos corações e dessa forma ter um sentimento de comunhão cada vez maior. Devemos romper com a imaturidade, arrogância e insubmissão, pois nos faz rejeitar a vida de oração uns pelos outros. Devemos entender que Deus ouve as orações dos nossos irmãos em nosso favor, bem como a nossa em favor dos mesmos.

Consideremos neste momento: Você é capaz de mencionar cinco pessoas pelas quais orou nesta última semana? Qual a última vez que você pediu oração a alguém? Paulo não teve  vergonha ao pedir que orassem por ele, e muito menos teve medo de se comprometer em orar por outros. Chegou o momento de fortalecer os seus relacionamentos por meio da oração. Qual será a sua resposta?